Esse espaço foi criado para divulgarmos crônicas sobre o Flu, tanto de escritores famosos quanto de iniciantes. Não deixe de conferir no final da página as crônicas anteriores.


AxeFLU

Porque vamos à estádios...?



Acordei hoje, numa típica manha de inverno.

Olhei pela janela e vi um céu azul e senti aquele frio natural da manhã.

Por um instante , minha imaginação viajou em muitas memórias.

Lembrei das manhãs quando ia para a escola primária.

Havia uma aura de intenso magnetismo.

Era como se o tempo fosse cúmplice de nossa vontade.

E no futebol...ahhh, ainda me lembro dos jogos que ouvia no radio.

Muitas vezes nos butecos e esquinas cariocas.

Era interessante perceber, como influenciava nas pessoas, o resultado do fim de semana !

Ainda muito jovem, isso acabava sendo pra mim , um mundo inatingível...

Fui tomar banho e tentando aproveitar ao máximo a água quente , lembrava do primeiro jogo.

Nem lembro contra quem foi.

Nem lembro realmente se foi o primeiro.

Mas , o que eu me lembro mesmo é que era Domingo!

Todos os momentos inesquecíveis no Maior do Mundo foram mesmo aos Domingos.

Mesmo os jogos de sábado , quarta ou quinta, acabavam se transformando em Domingo !

Entrar pela rampa do meio.

Pegar o anel interno , com um pé-direito gigantesco.

Aquilo nem é pé !

É perna, braço, corpo ...

Andando naquele corredor eu me sinto minúsculo.

O pequeno túnel, normalmente abarrotado de gente e todos se espremendo para entrar...

A cada segundo o coração bate mais forte.

Um ruído começa a tomar toda a sua atenção.

Os sons se misturam e como num passe de mágica surge um tapete verde a sua frente !

Por instantes. Só por instantes, tem-se a sensação de que o tempo parou !

Olha-se fixamente para todos os lados.

Ouvem-se vozes, gritos e cantos mas não sabemos exatamente de onde vem.

Cada olhar se cruza como um lampejo de energia e alegria.

É máxima a sensação de se estar novamente na sua mais profunda infância.

A arquibancada do Maior do Mundo se torna nosso útero materno por 90 minutos...

Nossos medos se desfazem.

Nossa insegurança se torna força!

Por instantes fazemos parte de um único corpo.

Visível apenas para quem está do outro lado da arquibancada.

Cantamos, pulamos , vibramos como nenhum outro momento nos propicia de forma tão pura e intensa.

Somos capazes de abraçar nosso vizinho , esquecendo qualquer diferença política, credo ou étnica.

Enquanto tomava meu café, lembrei de um antigo jogo. O clássico contra o Vasco , na estréia do Deco.

Revi grandes amigos e muitos da AxeFLU.

Lembrei de nossas "invasões"!

Inesquecíveis momentos , onde fizemos presença e marcamos para sempre o nome desta torcida tão diferenciada.

A emoção se completou ao ver , na minha frente , desfraldar a bandeira feita em nossa homenagem , pela Flunitur e que , de propósito , ficou em destaque bem no meio da arquibancada !

Ela dançava ao som dos gritos e acompanhava a coreografia da torcida, tornando aquele pré-jogo mais especial do que já era.

E não parou nesta apresentação...não!

E assim fizemos a cada gol !

Expulsamos ectoplasmicamente uma quantidade de energia capaz de superar qualquer bomba atômica.

Sintonizamos nosso portal do tempo e somos capazes de viajar ao inicio de tudo.

Por instantes , a marquise do Maracanã vira nosso chão.

As luzes se confundem ao brilho dos olhos.

Todos os corações batem unissonicamente no mesmo descompasso.

Somos levados ao êxtase e retornamos reencarnado em toda nossa plenitude.

Não importa o resto.

Não importam os fatos.

Nada importa.

Ao fim.

Saindo deste templo mágico, somos imersos em uma cúpula protetora.

Nada nem ninguém conseguirá romper este escudo.

Uma vitória significa a redenção.

Significa o céu.

Terá a profundidade de nossa imaginação.

Fará com que a semana tenha muitos dias.

Que os dias tenham muitas horas.

E que cada hora tenha a eternidade de um minuto !

O minuto onde graciosamente o bola toca a rede ...

Em nenhum outro estádio.

Em nenhum outro lugar neste e em qualquer outro mundo, ele tem tanta beleza como no Maior do Mundo.

Sua rede tem a geometria perfeita para acaricia-la ao encontro.

Nunca em tempo algum , um par foi tão perfeito.

A magia de um gol significa mais do que uma informação no placar eletrônico.

Tem o poder da cura !

Tem o poder de transformar zagueiros em heróis.

De imortalizar atacantes e destruir guarda-metas...

Resolvi escrever essa pequena homenagem para a AxeFLU, pois fui surpreendido com a agradável notícia da realização do TTT em Salvador neste próximo jogo contra o Bahia , dia 9.

Nossa invasão contra o Vasco foi a última desta era mágica do Maracanã,onde até o rubro-negro Mário Filho certamente se rendeu aos shows inesquecíveis proporcionados por nossa torcida...e que certamente teve de maneira muito especial , a contribuição deste incrível grupo soteropolitano !

Certamente todos no grupo levarão para sempre na memória , momentos únicos, lembrarão de detalhes...

A cada bandeira.

A cada camisa.

A cada "banho" de pó-de-arroz.

A cada gota de suor no rosto.

Nada será tão forte nem tão marcante.

Feliz de quem passou por isso.

Feliz daquele que saiu de sua praia direto ao Maior do Mundo.

Que comeu Geneal e tomou café na arquibancada.

Que viu em cada vitória, parte de sua própria vitória pessoal.

Que aprendeu em cada derrota a seguir em frente com a determinação de um vencedor.

Pois é assim.

É justamente neste momento que valorizamos cada segundo deste templo.

É por isso que vamos ao estádio !

Vamos na esperança de encontrar tudo isso novamente...

Vamos na convicção de podemos ser novamente parte de um todo.

Parte de uma alegria e de uma energia que recarregará nossas baterias.

Vamos porque sabemos , bem lá no fundo, que existe um motivo.

Que existe algo maior por trás de tudo.

Algo que os Deuses do Futebol mantém em segredo e guardado a sete chaves.

Vamos ao estádio em busca de nós mesmos !

Dia 9 na nova Fonte Nova espero encontrar novamente o espaço para a AxeFLU vibrar e continuar a escrever mais páginas em sua história !


Saudações Tricolores !

Julio Drummond

Julio Drummond
Fonte: ddjr2003@hotmail.com

 
CRÔNICAS ANTERIORES:

Doce sabor da vingança - Julio Drummond - 22/09/2017
Dia 13 - Julio Drummond - 14/08/2017
Crônica sobre o título de 1995 - Joaci Tavares de Araújo Júnior - 01/07/2017
Perdas & Ganhos - Julio Drummond - 01/07/2017
Desclassificação ? - Julio Drummond - 07/06/2017
MD - Julio Drummond - 23/05/2017
A batalha - Alexandre Pardal - 05/05/2017
Ser Tricolor - Julio Drummond - 02/05/2017
Salve Jorge - Julio Drummond - 02/05/2017
Da Angústia a Glória - Joaci Tavares de Araújo Júnior - 02/05/2017
Maracanã - Julio Drummond - 19/04/2017
Betales I - Julio Drummond - 08/04/2017
fla x FLU - Julio Drummond - 05/04/2017
Nice to meet you - Julio Drummond - 05/04/2017
2017 - Julio Drummond - 13/02/2017
2016 - Julio Drummond - 16/01/2017
9 de julho - Julio Drummond - 02/08/2016
Shopping ? - Julio Drummond - 28/07/2016
Único e Indivisível - Julio Drummond - 04/07/2016
Xadrez & Dama - Julio Drummond - 23/02/2016
Água - Julio Drummond - 01/02/2016
1904 - Julio Drummond - 17/08/2015
Roberto - Julio Drummond - 17/08/2015
Fifty - Julio Drummond - 10/07/2015
KW - Julio Drummond - 10/07/2015
beleza geral - Julio Drummond - 10/07/2015
Grão ou Gota ? - Julio Drummond - 12/02/2015
Será o inicio do fim ??? - Julio Drummond - 04/02/2015
Mercenários ou Mercadores - Julio Drummond´ - 07/12/2014
     (1)  2  3  4  5  6  Próxima  Última 
  


Copyright (c) 1998-2017 Sempre Flu - Todos os direitos reservados