Colunistas -

O Prolongado Câncer Do Fluminense (01/05/2018)

Eu ia esperar pelo menos um post explicativo no blog da Flusócio sobre mais um desastre administrativo, o demonstrativo financeiro de 2017 fora do prazo, cheio de falhas técnicas e sem a assinatura de um auditor independente. Mas é demais. Basta! Vão matar o Fluminense.

Uma das versões garante que os motivos da perda do prazo da entrega já foram explicados em reunião do Conselho Deliberativo realizada em março. Os novos auditores contratados pelo clube teriam encontrado absurdos nos demonstrativos de 2016 (último ano da gestão Peter).

Documentos teriam desaparecido, informações fundamentais estariam faltando, saldos contábeis precisariam ser revisados. Tudo isso teria impacto nas demonstrações financeiras de 2017, e por isso o atraso. A empresa responsável pela nova auditoria foi contratada no ano passado.

A anterior, responsável pelos erros dos demonstrativos de 2016, trabalhava há nove anos no clube. O atraso e as informações imprecisas poderiam resultar na saída do clube do Profut, o que seria o fim, e na deposição do presidente. O Profut é o programa de refinanciamento das dívidas dos clubes e federações com a União.

Sem o Profut, todas as receitas voltariam a ser penhoradas e o clube fecharia – pelo menos, o futebol do clube.

As duas páginas publicadas à meia-noite e meia deste dia 1º de maio (o prazo vencia no dia 30 de abril) mostram que a dívida do Fluminense, em dois anos, subiu de cerca de 450 milhões para 657 milhões.

Informam que há um déficit operacional de 80 milhões de reais por ano, e que o Fluminense tem uma folha de pagamento, de encargos e de serviços de terceiros que passa dos 150 milhões anuais. Um descalabro absoluto.

Dentre os 40 clubes da primeira e da segunda divisão, o Fluminense é o único nesta situação - há outros clubes falidos, mas nenhum passa por tal vergonha.

Como podemos falar de futebol assim, de time, de jogadores, quando o clube está sob ameaça de morrer? E os caras falam em “Flapress”, em “vazamento de informações”, acusam sites e blogs idiotas de sabotarem o clube! Quem está sabotando o clube mesmo?

O Fluminense estaria mantendo contatos e informando tudo sobre o problema à CBF e à Autoridade Pública do Futebol (APFUT), órgão do Ministério dos Esportes encarregado de fiscalizar a administração de clubes e federações. Não haveria risco de exclusão do Profut, garantem. A conferir.

Sim, a culpa vai recair na administração anterior, que deixou o clube falido e com números falsos e maquiados – e mesmo assim falava em construir um estádio em um pântano, anunciava clube saneado e outras mentiras. Pinóquio perde.

Mas o atual presidente era o presidente do Conselho Fiscal da gestão anterior, e falamos de um auditor da Receita Federal! As contas absurdas foram aprovadas!

E estes Conselhos Deliberativo e Fiscal que dizem amém a tudo, que estão sentados nas cadeiras apenas por vaidade? Omissos e incompetentes, como o presidente do clube!

Assumir um clube como o Fluminense sem ter competência para tal, e administrar com arrogância, vaidade, agressividade e de forma desleixada, tudo isso é o caminho para o desastre.

Se a administração Roberto Horcades foi um câncer, iniciado em algum ponto do final dos anos 80, as gestões Peter e Abad são a metástese.

O Fluminense está muito doente e sob sério risco de morrer.

-


 
Desculpe, não há artigos no momento.
  


Copyright (c) 1998-2018 Sempre Flu - Todos os direitos reservados