Colunistas -

Então, Está Explicado... (18/10/2017)

Eu sei que é absurdo tratar deste assunto em dia de jogo tão importante. Mas, amigos, é estarrecedora a entrevista do Fernando Veiga à Rádio Tupi, exatamente na véspera do jogo contra o São Paulo.

É inacreditável que o principal setor do clube tenha sido entregue a alguém tão incompetente. Atenção, a crítica que faço nada tem a ver com a pessoa do cidadão Veiga, ao seu caráter. Nada disso. Acredito que seja uma ótima pessoa. O problema é a falta de capacitação.

Primeiro foi o tal áudio vazado, em que deu mais munição para os que querem desmoralizar o clube, e as tevês, jornais e rádios estão cheios dessa gente. Agora, essa absurda entrevista à Rádio Tupi na véspera de Flu e São Paulo, e em que se mostra mais do que nunca desqualificado para o cargo que exerceu.

Veiga diz que nunca tratou de política, só de futebol. Pois a sua entrevista foi exclusivamente política – e uma péssima política, errada, não-inteligente (para ser educado). Deixa claro que se considera com “direitos adquiridos” sobre o futebol, por ser amigo do Abad.

Joga no fogo o Alexandre Torres, o “gerente de futebol”. Diz que o Torres foi poupado pelo “grupo político adversário”, porque o cargo não é político. Quando diz isso, está fazendo só política. Ora, o Torres vem sendo bombardeado pela torcida tanto quando ele próprio foi.

Mostra que não se preocupa nem um pouco com o clube, apenas consigo mesmo e com seus direitos políticos e afetivos ao cargo. Se realmente se preocupasse com o clube, não teria aceito o posto, ou teria pedido demissão antes de cair. Afinal, não é seu meio de vida, era só uma maneira de ajudar o Fluminense. Ah, a vaidade humana...

Calou o bico sempre que o Flu foi roubado por arbitragens canalhas ou achincalhado nas tevês e rádios; quando abriu a boca sempre foi apenas para expor mazelas internas, falar da nossa miséria financeira e dizer que “somos como o Atlético Goianiense”. Ou para pôr preço nos nossos jogadores.

Ora, Veiga, vá cuidar de sua vida profissional e de sua família, que reclama sua presença. Assim você presta um serviço melhor ao Fluminense e a si mesmo. Vá para a arquibancada!

E sabemos que todo o planejamento do futebol ficou a cargo do Marcelo Teixeira que, malandro, fica apenas na sombra, só fala em simpósios em que pode brilhar como "dirigente moderno".

Bom, chega disso. Eu gostaria de me preocupar apenas com o time, com os adversários. Mas não é nada agradável ver as vísceras do Fluminense expostas assim, de forma egoísta e infantil, por um rapaz mimado e magoado. Pobre Fluminense...

-


 
Desculpe, não há artigos no momento.
  


Copyright (c) 1998-2017 Sempre Flu - Todos os direitos reservados